Seguidores

Loading...

sexta-feira, 17 de julho de 2009

A POLIGAMIA NA CRIAÇÃO DE CANÁRIOS


A prática da poligamia na criação de canários vem de longa data, sendo raro encontrar hoje um criador que não a tenha praticado.

Como a grande maioria das técnicas de manejo, ela apresenta vantagens e desvantagens.

VANTAGENS: QUALIDADE - PADRONIZAÇÃO - LINHAGEM

Como principal vantagem podemos citar a melhoria na qualidade da prole.

É simples de explicar: se vamos fazer cinco casais de uma cor, vamos precisar de 5 fêmeas daquela cor. Mas não precisamos necessariamente usar 5 machos. Podemos classificá-los e usar apenas 2 ou 3 melhores, o que caracteriza a poligamia.
Procedendo dessa forma vamos aumentar a chance de obter melhores filhotes.
Também obteremos maior pradonização da prole. A tendência é a de filhotes mais homogêneos, melhorando significamente a possibilidade de formação de quartetos para os concursos.

DESVANTAGENS: EXCESSIVA MANIPULAÇÃO

Como principal desvantagem, temos o aumento da manipulação dos pássaros durante a criação. Será necessário circular o macho entre as gaiolas das fêmeas durante o período de reprodução, e uma atenção maior para que casos de infertilidade do macho sejam detectados o mais rapidamente possível. Falhas na movimentação dos machos poderão ocasionar uma maior percentagem de ovos não fertilizados.

MANIPULAÇÃO: BIGAMIA - TRIGAMIA - POLIGAMIA

A maior manipulação resulta da necessidade de trocar diariamente ( uma ou mais vezes ) o macho de gaiola. Em casos de poligamia, há necessidade de maior conhecimento por parte do criador para detectar quais as fêmeas estão no cio, acasalando-as somente neste período. Tão logo se complete a postura, pode-se retirar o macho, que se ocupará de outra fêmea.

É evidente que há acréscimo no trabalho de manipulação, e maior necessidade de presença do tratador no criadouro, principalmente quanto este processo é adotado com gaiolas criadeiras convencionais.

EQUIPAMENTO : GAIOLAS TRIPLEX / POLIGAMIA

No caso da adoção das gaiolas triplex, próprias para o manejo de poligamia, a manipulação se simplifica consideravelmente, garantindo o sucesso do processo.

As gaiolas triplex nada mais são do que gaiolas maiores que as criadeira comuns, com três compartimentos internos, onde são acomodados duas ou mais fêmeas e um macho.

Coloca-se à disposição dois ou mais ninhos, sempre nas extremidades das gaiolas, e as fêmeas e o macho são soltos dentro da gaiola, sem as divisórias. O macho fica disponível para a gala das duas ou mais fêmeas todo o tempo. Na grande maioria das vezes, uma fêmea vai escolher um ninho e inicia a postura antes das outras e, tão
longe termine, é separada no seu compartimento. No espaço remanescente ficam o macho com as outras fêmeas. Completada a postura da fêmea seguinte, o macho pode permanecer separado no compartimento central ou até liberado para outro acasalamento.

Quando os filhotes atingem a idade própria, serão separados no compartimento do meio, recolocando-se o macho para o reinicio do processo de gala da Segunda postura.

Com os filhotes das fêmeas separadas no meio, teremos duas fêmeas a alimentá-los ao invés de uma só, o que é uma vantagem adicional do processo.

CONCLUSÃO: AS VANTAGENS COMPENSAM !

As gaiolas triplex proporcionam maior segurança e conforto no manejo dos processos de poligamia, reduzindo a manipulação excessiva dos machos, principal desvantagem da técnica. A utilização das gaiolas triplex reduz a quantidade de ovos brancos na reprodução pela diminuição no manuseio dos machos. Reduz significamente o stress que esta movimentação causa as aves.

O resultado é o acréscimo da produtividade, aumentando-se a média de filhotes por casal, com todas as vantagens de acréscimo de qualidade, padronização e fixação de linhagens. As dimensões das gaiolas triplex também favorecem a melhor utilização dos espaços disponíveis, permitindo mais casais por metro quadrado de área disponível no canar

Fonte desta Matéria.

Marcio Fernandes Juiz OBJO - Revista Brasil Ornitológica N.º 35


A ESCOLHA DO PLANTEL

A ESCOLHA DO PLANTEL

Como possui vários tipos e cores de canários é recomendado ao iniciante a visita a criadouros e até mesmo a visitas em exposições antes da escolha. Ao escolher os canários, deverá pedir conselhos e orientação para criadores sobre tal escolha, decidir-se sobre o que irá criar, canários de cor ou porte.

No início, é bom começar com um mínimo de 2 casais e o máximo de 10 casais e é bom lembrar que os mais experientes criadores têm fêmeas de reserva, para eventuais problemas que podem aparecer durante a criação.

E aqui vão algumas dicas para uma boa escolha do plantel:

-O Canário deve estar demosntrando saúde, mudando sempre de posição;

-Os olhos devem estar vivos, brilhantes, alegres e bicos limpos;

-As penas devem estar coladas no corpo bem acentadas uma sob a outra;

-As fezes deve ser um pouco únida (urina) e ao mesmo tempo consistente;

-Os pés e pernas devem estar limpos e sem escamas;

-Soprar a cloaca e abdômem é bom para verificar alguns problemas, a pele deve estar uniforme e numa cor rosa-avermelhada, fora destas condições o pássaro deve ser refugado;

-A asa deve ser bem definida não pode sobre por uma sobre a outra, a cauda deve ser uniforme e terminar em forma de "M";

-Levar o pássaro ao ouvido para verificar a ausência de guinchos e chiados, na presená destes esta ave deve ser refugada;

-Adquirir sempre aves do ano, pois há alguns criadores que recomenda iniciar a criação com aves com mais de um a dois anos, principalmente as fêmeas por formarem bem a parte do aparelho reprodutor.

-Pedir ao criador que se adquirir a ave todas as informações sobre a ave, se é portador de fatores, etc.

Após adquirir as aves, é preciso aclimatá-las ao novo local, antes do acasalamento.

Ágata Topázio