Seguidores

Loading...

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

COMO JULGAR SEUS CANÁRIOS

Revista pássaros nro 06-1997
Para julgar canários é necessário seguir uma série de regras e critérios uniformes, para que năo surjam da parte dos expositores dúvidas a respeito da correta atuaçăo dos juízes. O juiz deve apresentar-se ao julgamento perfeitamente descansado, e tomar como primeira providęncia a escolha de um local amplo, com luz natural e que ofereça tranqüilidade para o bom desempenho das suas funçőes. Os juízes săo a maior autoridade no julgamento e, como tal, terăo condiçőes para retirar do local expositores, diretores, ou qualquer pessoa que esteja pressionando ou perturbando o seu trabalho.
Quando solicitado por algum expositor, a dar qualquer explicaçăo, acerca do julgamento, os juizes, a seu critério, poderăo ou năo atender a solicitaçăo. Nas fichas de julgamento deverăo ser feitas anotaçőes referentes aos pássaros de ótimas qualidades, mas que por qualquer defeito tenham sido desclassificados.
Aos juizes é expressamente proibido, tecer comentários ou críticas a respeito do trabalho de seus colegas, o que poderá acarretar-lhes uma advertęncia ou puniçăo. Ao juiz cabe chamar os pássaros pela ordem cronológica de nomenclatura, tendo o cuidado de verificar se todos os pássaros inscritos na sua respectiva cor, passaram pela mesa de julgamento.
O juiz deverá colocar-se, sempre com o sal ŕs suas costas, para evitar reflexos solares em seus olhos.
Os pássaros que apresentem defeitos desclassificados, irăo sendo retirados pelo juiz, até que restem apenas exemplares aparentemente perfeitos.
Após essa operaçăo será feita uma avaliaçăo das qualidades desses pássaros, até que restem apenas 5 ou 6 pássaros na mesa, quando deverá ser feita a classificaçăo de 10 ao 50 lugares. Se necessário, em caso de empate, deverá ser feita a pontuaçăo dos exemplares.
Um bom exemplar deve preencher os requisitos descritos, de uma forma perfeitamente balanceada ou harmônica.
Dentre as principais características, o canários deve ter o bico curto e grosso, cabeça redonda, olhos redondos, vivos e centrados em relaçăo ŕ cabeça, pescoço cilíndrico e curto, em harmonia com a cabeça e o peito, que deverá ser arredondado, asas coladas ao corpo, devendo as pontas se juntarem, porém sem se cruzarem; cauda proporcional ao tamanho, năo devendo ser muito comprida, formando uma linha reta com o dorso e terminando em um M maiúsculo; as patas bem limpas e firmes, unhas e dedos sem defeito, se adaptando com firmeza ao poleiro.
No julgamento de quartetos é imprescindível que os quatro pássaros estejam em perfeita harmonia, sem a qual năo serăo classificados, mesmo em se tratando de quatro magníficos exemplares, porém diferentes entre si.
As cores dos canários se dividem em lipocromicas (linha clara) e melânicas (linha escura).
Os lipocromicos săo brancos, amarelos e vermelhos. As melaninas săo negras (eumelanina) e canela ( feomelanina). Dentro das duas citadas categorias, existem os nevados, intenso e mosaicos.
Os canários lipocromicos, Branco Dominante, amarelo, Branco Recessivo, Amarelo Marfim, Vermelhos e Vermelho Marfim tęm como principais causas de desclassificaçăo: manchas melânicas, negro ou marrom no bico, plumagem e patas. As manchas na plumagem deverăo ser visíveis sem a necessidade de pegar o canário na măo. Bicos raspados, ou falta de penas, que săo uma evidęncia de terem sido retiradas, por possuírem manchas negras ou canelas.
Desclassificaçăo dos melânicos: Azuis, Verdes, cobres, Ágatas,Canelas e Isabelinos. As principais causas de desclassificaçăo săo: presença de penas brancas em qalquer parte do corpo, falta de penas na cabeça, asas ou cauda, o que leva a crer que foram retiradas para ocultar penas ou manchas brancas.
Causas gerais de desclassificaçăo: amputaçőes das unhas ou dedos, tumuraçőes, verrugas, falta de penas na cabeça, asas e cauda, mais de um anel, canário muito quietos ou aparentemente doentes.
O tamanho do exemplar deverá estar entre 13 a 15 cm. Pássaros pequenos ou excessivamente grandes sofrerăo perda de pontuaçăo.
A plumagem deverá ser aderente ao corpo e sem falhas. Penas tortas, cauda aberta ou larga e plumagem com buracos săo causas de menor pontuaçăo.
Elegância: o pássaro deverá ter uma postura tranqüilae bonita sobre os poleiros. Perdem pontos aqueles que se apresentem muito ariscos, batem contiuamente as asas, gordos demais, o que provoca a caída do peito, pernas muito abertas e má posiçăo sobre o poleiro.
Na forma, (que exerce `a primeira vista, grande influęncia sobre o juiz) săo defeitos graves: cabeça fina ou achatada, bico comprido, dedos estirados, patas grandes, unhas tortas, peito largo ou caído, asas cruzadas ou caídas.
Em apresentaçăo perde pontos o pássaro sujo, mal preparado, com escamas nas patas e dedos, e bico sujo ou com rebarbas.
Diminuiçăo de pontos dos canários lipocromos (linha clara): Em se tratando do Branco Dominante, as incrustaçőes amarelas acentuadas.
No Branco Recessivo o lipocromo recebe sempre pontuaçăo máxima.
Nos vermelhos a diminuiçăo de pontos é atribuída ŕ má distribuiçăo do lipocromo vermelho; schimel nos canários intensos, muita névoa nos nevados e excesso ou falta de branco ou vermelho, nas áreas índice dos mosaicos.
Os canários melânicos tem como causa de perda de pontos, defeitos nas melaninas e no lipocromo, ou cor de fundo, a saber:
No caso do Azul, Cobre e Verde, a má distribuiçăo do lipocromo branco, vermelho ou amarelo. Incrustaçőes amarelas muito fortes nas asas, cauda ou ombro dos Azuis. Há também diminuiçăo de pontos em relaçăo ŕs melaninas, quando as unhas, bico e patas sejam claras, e grande concentraçăo de canela no dorso e flancos, ou diluiçăo melânica.
Com relaçăo aos Ágatas, (prateados, amarelos ou vermelhos) a má distribuiçăo do lipocromo branco, amarelo ou vermelho provoca a perda de pontos, bem como incrustaçőes amarelas acentuadas nos Ágatas Prateados. Quando as melaninas săo mal distribuídas, com pouco diluiçăo, muita melanina canela no dorso ou asas, unhas, pés e bico escuros, haverá diminuiçăo de pontos.
Os canelas (Prateados, Amarelos e Vermelhos) perderăo pontos, quando se verificar uma má distribuiçăo do lipocromo branco, amarelo ou vermelho, e fortes incrustaçőes amarelas nas asas e encontros dos canelas prateados. Falta ou excesso de canela, má distribuiçăo da melanina. Diluiçăo da melanina, que o fará parecer um Isabelino.
Os Isabelinos, (Prateados, Amarelos e Vermelhos) igualmente sofrerăo perda de pontos, quando năo for perfeita a distribuiçăo da melanina, má distribuiçăo do lipocromo branco, amarelo ou vermelho, e muita incrustaçăo amarela nas asas e ombros dos prateados.
Pouca diluiçăo das melaninas, estrias nos flancos, excesso de marrom no dorso, cabeça ou peito, que o fera assemelhar-se a um Canela.
Estas săo as cores clássicas, e através de um perfeito domínio ou conhecimento de suas características próprias, poderemos facilmente identificar as cores novas, que tem como base todas as peculiaridade descritas neste artigo, juntando-se a elas os fatores superpostos, Pastel, Marfim, Opal, Satine e Feo, facilmente reconhecidos. Bem, mas isso é outra história, que fica para outra vez.

A categoria nos canários de cor

Revista da S.O.S. – 2006


Chamamos em canaricultura de "categoria" a expressăo dos lipocromos (cor de fundo) de acordo com a sua disposiçăo nas penas.
Os canários tęm como particularidade, a capacidade de depositar os lipocromos de forma diferente na superfície das penas, tendo esta característica conseqüęncias diversas de acordo com cada caso.
Nos casos dos pássaros em que o lipocromo é depositado até a borda das penas, eles săo chamados de "intensos".
Os canários chamados de "nevados", depositam lipocromo na quase totalidade das penas, deixando apenas uma "banda" na borda das penas de cor branca (sem pigmentos) que confere um visual de fina escamaçăo no fundo amarelo ou vermelho. Esse visual levemente escamado de branco, como se uma leve camada de neve tivesse caído nas suas costas, deu o nome a estes exemplares.
Existem finalmente os canários chamados de "mosaicos" que depositam lipocromo numa fina banda das penas, sendo o resto da área das mesmas isenta de cor de fundo, portanto branca. Estes exemplares tęm como característica, uma proporçăo diferente de lipocromo e borda branca das penas, dependendo da regiăo onde essas penas se encontram. Assim, no dorso, peito e flancos, as penas apresentam pouca expressăo de lipocromo e muito branco. Já nos ombros, uropígio e na face dos machos, as penas apresentam maior quantidade de lipocromo e pouca ou nenhuma borda branca.
Nos canários de fundo branco ou branco dominante, devido ŕs penas năo apresentarem lipocromo, năo existe a classificaçăo de intensos, nevados ou mosaicos, embora geneticamente esses exemplares pertençam a uma das categorias acima descritas.
O julgamento
A avaliaçăo da categoria dos canários de cor varia dependendo se eles forem lipocrômicos (linha clara) ou melânicos (linha escura) como segue:
Lipocrômicos: máximo 19 pontos Melânicos: máximo 9 pontos
Desprende-se desses valores a conclusăo obvia de que o nível de exigęncia de qualidade nos pássaros de linha escura será muito maior do que nos canários melânicos. A categoria tem, portanto, maior importância nos canários lipocrômicos do que nos melânicos.
O contraste é um elemento fundamental na avaliaçăo tanto dos nevados como dos mosaicos. Busca-se o branco o mais puro possível nos nevados e mosaicos, de forma que constituam um belo contraste com a cor de fundo.
Além da maior "tolerância" no que refere a qualidade da categoria nos exemplares melânicos, em muitos casos, a visualizaçăo da categoria fica comprometida pela própria presença das melaninas. Sabido é que as feomelaninas se depositam preferencialmente na borda das penas dificultando assim a nítida visualizaçăo da "banda" branca dos nevados. Resulta, portanto muito difícil de visualizar o nevadismo dos canários feos e canelas pastéis em funçăo da presença de feomelanina nesses pássaros.
Nos canários intensos, busca-se a distribuiçăo de lipocromo em toda a extensăo das penas, de tal forma que năo exista qualquer vestígio de branco nas bordas das mesmas. A presença de escamaçăo nas bordas das penas dos canários intensos é chamada de "schimell" e deverá ser penalizada. Exemplares intensos filhos de mosaicos acostumam apresentar uma forte carga de schimell e até chegam a ser confundidos com canários nevados. Os intensos com forte presença de schimell, săo exemplares que mostram um "nevadismo" muito curto, porém muito mal distribuído, com forte concentraçăo no pescoço, cloaca, bochechas e em volta do bico. Esses exemplares deverăo ser desclassificados quando apresentados como nevados.
Nos canários nevados valoriza-se a presença de escamaçăo curta, bem distribuída e o mais branca possível em contraste com a cor de fundo. Um grande desafio para os criadores desta cor, é conseguir que o nevadismo seja bem curto, porém presente no peito e sem concentraçőes principalmente no pescoço.
Os canários mosaicos apresentam um desenho característico e bem diferenciado entre machos e fęmeas, razăo pela qual ambos os sexos săo julgados por separado. Os machos devem apresentar uma máscara ampla, bem delimitada, de cor intensa, enquanto as fęmeas apenas apresentam um traço de lipocromo na altura dos olhos. Do ponto de vista de seleçăo genética, esta diferenciaçăo nos leva a trabalharmos planteis diferentes para produzirem machos ou fęmeas de qualidade para os concursos. Será praticamente impossível, por exemplo, que o macho e a fęmea vermelhos mosaicos campeőes Brasileiros possam chegar a dar exemplares campeőes. O macho por ter uma máscara muito ampla, năo produzirá filhas fęmeas com apenas um traço de lipocromo na altura dos olhos. Já a fęmea campeă Brasileira, năo transmitirá uma máscara ampla e definida para os filhos machos.
Procura-se, portanto em matéria de acasalamentos e seleçăo genética, o cruzamento de canários intensos de excelente expressăo lipocrômica e descendentes de bons nevados, com canários nevados de características o mais perto do padrăo possíveis.
Quanto aos mosaicos, conforme acima explicado, aconselha-se trabalhar com linhas próprias para fazer machos (as fęmeas muito brancas, porém com bastante máscara) e linhas próprias para fazer fęmeas (os machos o mais branco possível, com muita intensidade de lipocromo no ombro e máscara o mais reduzida possível, porém bem intensa)
Aproveito para enviar um caloroso abraço aos amigos criadores da SOS, desejando muito sucesso nos concursos

Ágata Topázio