Seguidores

Loading...

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Doenças que Afetam os Canarios

A LANKESTERELIOSE



Uma das principais causas de morte das aves jovens, após a separação dos pais, podendo ocorrer entre a 5a e a 10a semana.
Nas várias conversas sobre ornitofilia, com os mais diversos criadores de avers de gaiola e de viveiro tenho constatado o desconhecimento quase total, por parte destes, de uma doença que ocorre em determinados períodos da vida das aves de pequeno porte, enquanto jovens, doença essa denominada Lankestereliose.
Começou esta doença por ser detectada em alguns centros de reprodução, mais ou menos grandes, alastrando-se como será óbvio aos pequenos criadores, face à aquisição de aves naturalmente portadoras.
A Lankestereliose provoca surtos de elevada mortalidade entre os jovens, após a separação dos pais, a partir da 4a ou 5a semana de vida. A incubação é efectuada por um período de cerca de 8 dias, findo o qual poderá provocar uma elevada mortalidade, que se poderá situar entre 50% e os 95%.
Esta doença não vem acompanhada de sintomas clínicos precisos, sendo portando logo de desconfiar quando a nossa jovem ave está sonolenta, penas eriçadas, não disputa a comida ou poleiros, isolada ou a um canto da gaiola ou viveiro.
A Lankestereliose é provocada por um parasita no sangue da jovem ave, apresentadno nas autópsias como sinal mais característico, um grande aumento de volume do baço, sem mais outras lesões particulares.
Assim, recomendam-se duas situações, a fim de evitar uma exagerada mortalidade após a separação dos jovens dos seus pais, as quais eu tenho utilizado nas duas últimas épocas de reprodução, com muito êxito sendo:
- Utilizar como meio PREVENTIVO (antes de as aves apresentarem qualquer sintoma), durante 3 dias por semana e no período que decorre entre a 5a e a 10a semana, de uma associação de sulfadimetoxina sódica 8% e pirimetamina a 1% na dose de 7 gotas por bebedouro de 60 ml ou 5 ml por litro de água. Como meio CURATIVO, isto é, se de fato se constata qualquer sinoma, administrar durante 8 dias, nas mesmas doses acima indicadas. Este medicamento, que eu conheça, existe no mercado ornitófilo, importado da França e é também extremamente eficaz na prevenção e tratamento da Coccidiose, Salmonelose e da Pseudo-Tuberculose das aves de gaiola.
Pode e deve ser administrado conjuntamente com um complexo vitamínico, sempre da mesma marca do medicamento, a fim de não existirem incompatibilidades.
Não administrar aos reprodutores, já que provoca esterilidade.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Preponderância de machos ou de fêmeas

Alguns criadores assinala que determinados princípios influenciam no número de machos e fêmeas a nascer entre os filhotes decorrente de fatos que apontam:

1) Um macho jovem acasalado com fêmea reprodutora dará mais machos do que fêmeas portadoras em maior quantidade das características do pai
2) Acasalando macho e fêmea adultos, de idades aproximadas, dará mais ou menos igualdade de sexo, com as características de ambos genitores.
3) Macho reprodutor acasalado com femêa jovem dará mais fêmeas do que machos, ambos portadores das características da mãe.
4) Ambos jovens, darão equilíbrio de sexo, portadores das características dos vós.
O fator idade merece consideração, sobretudo tendo-se em vista a prole. A utilização temporã dos filhotes e acasalar prematuramente poderá acarretar conseqüências prejudiciais. Por isso, repetimos que o acasalamento ideal entre filhotes é com a idade de um ano mais ou menos.
As fêmeas normalmente reproduzem até 4 anos de idade. Os machos poupados podem ser bons reprodutores até 5 ou 6 anos. Ambos, após essa idade, entram em declínio. A maturidade entre as fêmeas torna-se más poedeiras, infecundadas e perdem afeto maternal.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Vitaminas

Vitaminas

As vitaminas são imprescindíveis para a manutenção do perfeito funcionamento do organismo. Elas favorecem a assimilação dos alimentos, são importantes para o crescimento e para a fertilidade. Influem na plumagem e na resistência orgânica. Cada vitamina é responsável por uma função específica, e a carência de uma delas gera problemas que afetam todo o organismo.
• Vitamina A : Essencialmente para o crescimento da ave atua sobre a audição, visão e o equilíbrio da ave.
Encontra-se nas verduras, na casca de maçã, cenoura, gema de ovo e no óleo de fígado de bacalhau.
• Vitamina B : Atua no sistema nervoso, previne doenças do fígado, rins e coração.
Encontra-se na levedura de cerveja, trigo, cascas das sementes, verduras, gema de ovo, tomate.
• Vitamina B1 : Atua no desenvolvimento muscular, sistema nervoso, postura e desenvolvimento do embrião.
Encontra-se na maçã, gema de ovo.
• Vitamina B2 : Atua nos ovos, dando maior fertilidade, crescimento dos filhotes e sistema nervoso, a falta pode causar raquitismo e o peso baixo.
Encontra-se no alpiste, gema de ovo, leite, óleo de fígado de bacalhau.
• Vitamina B3 : Fortifica e mantem a textura da pele.
Encontra-se na gema de ovo e nas sementes.
• Vitamina B6 : Atua sobre o fígado, sistema nervoso, crescimento e a pele.
Encontra-se nos cereais, almerião e gema de ovo.
• Vitamina B12 : Necessária no crescimento e nascimento dos filhotes.
Encontra-se nos complexos vitaminicos como: farinha de peixe, complexo B, Vitamina A, Daiamineral, Gerval em pó e Terragran.
• Vitamina C : Previne das enfermidades infecciosas no aparelho respiratório.
Encontra-se nas frutas frescas, alimento verde.
• Vitamina D : Atua na boa formação ossea, combate o raquitismo.
Encontra-se na natureza através dos raios solares, no óleo de fígado de bacalhau, gema de ovo e verduras.
• Vitamina E : Atua na reprodução, ajudando numa boa fecundação dos ovos.
Encontra-se no óleo de germe de trigo, gema de ovo e verduras.
• Cálcio : Um forte componente para a formação e reforço do esqueleto, e do aparelho reprodutor das fêmeas.
Encontra-se no osso de ciba, farinha de ostra e nos ossos de peixe.

Ágata Topázio